Papernews

Assédio em Hollywood: Rose McGowan fará documentário sobre o tema

A atriz, que se tornou porta-voz do movimento contra abuso sexual #MeToo, diz que todos estão “formalmente convidados a entrar na minha mente e no meu mundo” em Citizen Rose.

A campanha #MeToo, parcialmente encabeçada pela atriz Rose McGowan e com o objetivo de evidenciar abusos sexuais em Hollywood, agora tomará novas dimensões. Na terça-feira, 2, o canal E! anunciou que a atriz e ativista será a estrela e a produtora de uma série documental em cinco partes intitulada Citizen Rose (traduzido livremente como “Cidadã Rose”).

“Estão todos formalmente convidados a entrar na minha mente e no meu mundo”, ela declarou. “Estou empolgada em trabalhar em parceria com o E! para amplificar minha mensagem de bravura, arte, prazer e sobrevivência. Enquanto preparava meu livro, Brave, percebi que eu queria mostrar como nós podemos nos curar através da arte, mesmo quando rodeada por crueldade. Eu quero ter uma conversa com todos, sobre enxergar as coisas através de diferentes perspectivas e ver beleza em todos os lugares. O grande alcance e a impressionante plataforma do canal E! permite que eu comunique globalmente a importância de viver corajosamente.”

A série vai acompanhar Rose enquanto ela se prepara para o lançamento de sua biografia, Brave, e a contínua batalha que ela enfrenta ao lado de outras atrizes e envolvidas no movimento #MeToo, do qual McGowan é porta-voz desde outubro do ano passado. O movimento incentiva mulheres a contarem suas experiências e histórias.

Recentemente a ativista criticou, em um tuíte já apagado, a decisão de Meryl Streep e outras atrizes de se vestirem de preto na cerimônia do Globo de Ouro, como forma de protesto silencioso, dizendo que “o silêncio é o problema”, e que Meryl sabia dos abusos de Weinstein ao longo dos anos. Ela ainda acrescentou que, em vez de preto, elas deveriam se vestir com roupas da marca Marchesa, cofundada pela designer e atriz Georgina Chapman, esposa de Weinstein até o surgimento das acusações contra o produtor. Desde então, ela foi criticada por esses comentários e pediu desculpa.

Citizen Rose estreia dia 30 de janeiro, nos Estados Unidos.