Papernews

“Cidadão Kane”, “Metrópolis” e outros filmes invadem o MIS neste fim de semana

Programação ainda inclui debates e música ao vivo.

Que tal rever o clássico “Cidadão Kane”, de Orson Welles, de graça na tela grande do cinema? E o que você acha de conferir “Metrópolis”, de Fritz Lang, sonorizado ao vivo com sintetizadores modulares para entrar de cabeça no universo futurista do expressionismo alemão? Pois estas são só algumas das atrações que acontecem no MIS – Museu da Imagem e do Som neste fim de semana, entre os dias 9 e 10 de dezembro.

No sábado, a programação começa às 16h com uma dobradinha de filmes ligados pelo tema “relacionamentos familiares”, na sessão chamada “Um Caso de Cinema”. Compõem o ciclo o longa americano “Olhe para nós agora, mãe!”, de Gayle Kirschenbaum, e o israelense “Quem vai me amar agora?”, de Tommer e Barak Heymann, e após as exibições haverá um debate com a psicanalista Vera Iaconelli, o produtor cultural André Fischer (criador do MIX Brasil) e mediação de Daniela Wasserstein.

Às 20h, é hora de falar de música com o documentário “Meu tio e o Joelho de Porco”, exibido recentemente na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo. O filme relembra as origens do rock independente nos anos 70 a partir da história da banda paulista que dá nome ao longa. Após a sessão haverá um bate-papo com o diretor.

No domingo, o público viaja no tempo e volta aos anos 40 para conferir “Cidadão Kane” – filme que foi considerado durante 50 anos o melhor do mundo pela icônica lista da revista britânica Sight and Sound. A exibição começa às 15h e será seguida por um debate com a professora Pollyana Ferrari, especialista em jornalismo online, com mediação de José Luiz Goldfarb. A sessão faz parte do projeto #Cineciência e pretende discutir os desafios do jornalismo em tempos de “pós-verdade”.

Para fechar o fim de semana em grande estilo, acontece a última edição do ano do projeto “Cinematographo”, com a exibição do clássico “Metrópolis”, acompanhado por trilha sonora ao vivo executada por Arthur Joly. O filme foi lançado em 1927 e mostra um futuro em que a sociedade é dividida entre os ricos, na superfície, e os trabalhadores, desumanizados pelas máquinas numa espécie de mundo subterrâneo.

Todas as sessões são gratuitas, com exceção do Cinematographo, cujo ingresso custa R$ 6 (inteira). Confira a programação:

Sábado, 9 de dezembro

16h – Olhe para nós agora, mãe!

17h30 – Quem vai me amar agora?

19h – Debate sobre cinema e relacionamentos familiares com Vera Iaconelli e André Fischer

20h – Meu tio e o joelho de porco + bate-papo com o diretor Rafael Terpins

Domingo, 10 de dezembro

15h – Cidadão Kane + debate sobre “pós-verdade” com Pollyana Ferrari *Grátis

18h – Metrópolis + trilha sonora ao vivo executada por Arthur Joly